Para sonhadores... Deixem-se levar... O blog mudou de cores, mas os sonhos são os mesmos...

01
Out 06

"Eu lembro-me do que te disse sobre as responsabilidades. Mas não aguento tanta pressão, sobretudo porque cada vez odeio mais a ideia de ser médica. Tenho horror à morte, à doença, até ao sangue. Detesto o cheiro a medicamentos. Como é que eu posso ser médica assim?"

"Um médico não é um Deus. As pessoas morrem. Quando te morre algum doente, consegues comer, divertir-te... namorar?"

"- O que eu não quero é ir para Medicina.

- O que é que te fez mudar de ideias?

- Pai, eu odeio o sangue, os hospitais, a morte...

- Pois, mas isso é uma questão de hábito... Eu também tive algumas dúvidas. Olha, uma pessoa habitua-se de tal maneira que o hospital acaba por ser um vício.

- Mas os vícios são maus, não são, pai?

Ele sorriu à pergunta:

- Que queres dizer com isso, que não sou bom médico?

-Não. Tu sabes que és um excelente cirurgião. Mas, se pensares bem, vais concordar que tu e a mãe se separaram porque nunca estavam juntos e, na realidade, ainda hoje mal se conhecem. Que desde aí não consegues namorar com a mesma mulher mais do que uns meses. E são sempre elas que se cansam de esperar por ti. São sempre elas que te deixam, não é pai? Nenhuma mulher aguenta ser sistematicamente esquecida e posta sempre a seguir à profissão. Não te sentes só? Tu nem sequer tens tempo para viver a tua vida! Pai, eu quero viver, quero fazer aquilo de que gosto!

O Dr. Cerqueira levantou-se, coçou a cabeça. Não estava a gostar nada do rumo que as coisas estavam a seguir. Estava a tentar chamar a filha à razão e afinal ele é que estava a ser o alvo das atenções. Por isso apressou-se a mudar o rumo à conversa.

- Ser médico exige efectivamente sacrifícios. Mas eu sei que tu és capaz de os fazer e de seres uma óptima profissional. Assusta-te o trabalho que tens pela frente?

- Não pai, não se trata de ter medo ao trabalho. Eu não tenho vocação para ser médica. Toda a vida pensei que ia ser médica, porque toda a vida vivi rodeada por médicos, porque cá em casa só se falava em Medicina e porque sempre consideraram como um dado adquirido que eu viesse também a ser médica. Acabei por me convencer que era isso que eu ia ser. Mas nunca me perguntaram se de facto eu queria seguir Medicina."

Anabela Mimoso in Parabéns, caloira!

 

publicado por Vânia Caldeira às 18:41
tags:

Olá Caloira! Que giro que foi chegar ao teu blog, ver a tua foto ao pé do nosso amigo Egas (sempre útil para encontros com os colegas :) )...Que nostalgia! Há 7 anos estava ai eu ao pé dele, cheia de papa cerelac na camisola, a ladrar, a berrar, amarrada com uma corda a muitos outros colegas.... E foi assim, neste espírito de diversão que começou o longo mas paradoxalmente rápido percurso do curso de Medicina. Espero que tal como eu tenhas gostado das praxes, espero que aqueles que eu praxei (sobretudo em 2005- grande praxe!) vos tenham dedicado verdadeiros momentos de diversão/castigo!
Mas espero, sobretudo, amiguita, que não te esqueças, tanto quanto eu, da parte do convívio com os colegas! Vais ter sempre obrigações académicas para fazer...todos os dias...por isso não esperes sair e divertires-te quando tudo estiver feito...senão ficas sempre em casa a marrar! Aqui fica o conselho de uma colega jovem médica, recentemente saída da FML e já com tantas saudades do que fez e, sobretudo, do que não fez com os colegas! Não deixes para trás semanas do caloiro, noites da medicina, olimpíadas da medicina, jantares de curso, festas da faculdade, magustos e outros que tais. A VIDA ACADÉMICA é uma cadeira de 6anos !
Desejo-te a maior sorte do mundo aí por essas paragens e muita persistência (porque às vezes apetece mesmo desistir)...porque VALE A PENA!
[Error: Irreparable invalid markup ('<br [...] <a>') in entry. Owner must fix manually. Raw contents below.]

Olá Caloira! Que giro que foi chegar ao teu blog, ver a tua foto ao pé do nosso amigo Egas (sempre útil para encontros com os colegas :) )...Que nostalgia! Há 7 anos estava ai eu ao pé dele, cheia de papa cerelac na camisola, a ladrar, a berrar, amarrada com uma corda a muitos outros colegas.... E foi assim, neste espírito de diversão que começou o longo mas paradoxalmente rápido percurso do curso de Medicina. Espero que tal como eu tenhas gostado das praxes, espero que aqueles que eu praxei (sobretudo em 2005- grande praxe!) vos tenham dedicado verdadeiros momentos de diversão/castigo! <BR>Mas espero, sobretudo, amiguita, que não te esqueças, tanto quanto eu, da parte do convívio com os colegas! Vais ter sempre obrigações académicas para fazer...todos os dias...por isso não esperes sair e divertires-te quando tudo estiver feito...senão ficas sempre em casa a marrar! Aqui fica o conselho de uma colega jovem médica, recentemente saída da FML e já com tantas saudades do que fez e, sobretudo, do que não fez com os colegas! Não deixes para trás semanas do caloiro, noites da medicina, olimpíadas da medicina, jantares de curso, festas da faculdade, magustos e outros que tais. A VIDA ACADÉMICA é uma cadeira de 6anos ! <BR>Desejo-te a maior sorte do mundo aí por essas paragens e muita persistência (porque às vezes apetece mesmo desistir)...porque VALE A PENA! <BR class=incorrect name="incorrect" <a>Bjocas</A> <BR><BR class=incorrect name="incorrect" <a>PS-</A> Já agora, pela leitura do teu post não percebi, chegaste a Medicina por vocação ou pressão? Um misto das duas? ou por intuição? Aguardo esclarecimento! <BR>
aifosbd a 6 de Novembro de 2006 às 17:34

Ola, tudo bem?
Achei bastante engraçado quando vi o teu comentário...
Esclarecendo-te, antes de mais: apenas achei uma certa piada ao excerto e foi exactamente uma forma de valorizar a minha entrada por vocação e, simultaneamente um conselho: não me parece que valha a pena entrar para Medicina por pressões alheias...
Pelo que estou a testemunhar, o curso é de tal forma exigente, que só vamos ter sempre força para continuar por sabermos que vale a pena... E não duvido disso!
Aliás, talvez não tenhas lidos outros posts, mas eu não entrei no 1.º ano em que me candidatei, pelo que fui para outra Faculdade. E só mesmo a vocação falou mais alto e me deu força para voltar a lutar.
Obrigada pelos teus conselhos, pelas palavras amigas, pela experiência...
Espero que continues a passar por aqui e sobretudo a deixar comentários..
Então e que fazes agora, sra. doutora? Como te chamas mesmo?
Beijocas grandes
a tua futura colega
Vânia Caldeira

AH... outra coisa... Se quiseres da-me o teu mail que podemos conversar no Messenger... Gostava de saber mais sobre ti.
Beijinhos
Vânia

P.S. - manda essa informação para o mail: dreamfinder@sapo.pt
Vânia Caldeira a 10 de Novembro de 2006 às 19:54

Outubro 2006
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

15
16
17
18
19
20
21

22
23
24
25
26
27
28

29
30
31


mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO