Para sonhadores... Deixem-se levar... O blog mudou de cores, mas os sonhos são os mesmos...

04
Mai 06
  
Observo os miúdos correndo pela areia completamente despreocupados. E é nesta atenta observação que me apercebo das semelhanças entre a nossa vida, os nossos sonhos e projectos e este meio aparentemente tão calmo e desprovido daquilo que possamos adjectivar de “quotidiano”.
Novo olhar em meu redor... Umas ocupam-se com seriedade e perfeição de arquitecto na construção de ambiciosos castelos; outras preferem a emoção e a adrenalina, “voando” na crista das ondas, hoje definitivamente mais acentuadas do que é costume.
Percebo então, olhando além das ingénuas brincadeiras de criança, estar a ver o meu próprio mundo. A nossa vida são ambiciosos projectos que traçamos e que, com esforço, transformamos em vanguardistas construções. Mas que, dum momento para o outro, tal como os castelos são pisados por outra criança ou destruídos pelas ondas do mar, também a nossa vida se desmorona sem uma única justificação ou um pedido de desculpas...
A nossa vida tem sonhos, metas, objectivos que nos levam a voar alto, ir mais além, sentirmo-nos omnipotentes, qual os pequenos bruscamente elevados pelas ondas do mar... Mas há o voo arriscado e a queda brusca, tal como a vaga que se ergue alta para de seguida bater, com toda a força, novamente na areia. Também nós, depois de sonhar, enfrentamos a dura e cruel realidade. E que realidade é essa? Aquela que algures bem perto, para lá deste paraíso sossegado, deste mar inspirador e deste sol intenso que queima e não deixa ver, há uma selva por desbravar, um mundo de intriga, violência e corrupção, onde os sonhos já quase não são possíveis e onde a nossa condição se resume àquela que foi imortalizada por Camões: um mero “bicho da terra tão pequeno”.
publicado por Vânia Caldeira às 20:33
tags:

Maio 2006
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12
13

14
15
16
17
18
19
20

21
22
23
24
25
26
27

28
29
30
31


mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO